03 de dezembro de 2021
 

A livre circulação de trabalhadores é uma das grandes conquistas da UE e vetor importante de uma identidade europeia. A coordenação dos sistemas de segurança social dos trabalhadores destacados, uma competência da União desde 2004, implica uma burocracia considerável. Daí a importância da resolução do Parlamento Europeu, aprovada há dias, que solicita à Comissão uma proposta de criação de um Número Europeu de Segurança Social, antes do final de 2022, materializando um compromisso inscrito no Plano de Ação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais adotado aquando da Presidência Portuguesa da UE. Tal documento será um passo relevante no aprofundamento de uma União social, contribuindo para tornar a mobilidade laboral mais fluída, previsível e portável.

Manuel Pizarro

Twitter Facebook

No momento em que a Europa se vê confrontada com o aumento exponencial da pandemia COVID-19, a Presidente da Comissão Europeia fez um apelo veemente à vacinação. Enquanto Estados-Membros como Portugal ou Espanha têm taxas de vacinação próximas de 90%, vários outros estão na casa dos 60% ou mesmo até dos 30%. Que ninguém tenha dúvidas: se queremos combater a COVID-19, a vacinação é mesmo indispensável.

Pedro Marques 

Twitter Facebook

Em 2019, 3% da população europeia com mais de 16 anos não conseguiu ter acesso a um exame ou tratamento de que necessitava. O Parlamento votou favoravelmente um relatório sobre a Estratégia Farmacêutica para a Europa. Precisamos de apostar em mais transparência no preço dos medicamentos e em eventuais aquisições comuns, como fizemos nas vacinas, de forma a contribuir para a sustentabilidade dos serviços de saúde.

Maria Manuel Leitão Marques

Twitter Facebook

Fumo branco na Alemanha

Depois da notável vitória socialista nas eleições alemãs de setembro, os sociais-democratas do SPD conseguiram concluir as negociações para uma coligação com os Verdes e com os Liberais do FDP. Já ninguém tem dúvidas: Olaf Scholz será mesmo o próximo Chanceler alemão, sucedendo ao longo consulado de Angela Merkel. Para a família socialista europeia, as notícias recentes são animadoras: recuperação do Governo na poderosa Alemanha, liderança não apenas em Portugal, Espanha e Malta, mas também em todos os países nórdicos, e excelentes resultados do Partido Democrático nas eleições locais italianas. O colapso do movimento socialista e social-democrata europeu, tantas vezes apregoado, está longe de se confirmar. Pelo contrário, a esquerda democrática europeia dá provas de evidente vitalidade.

No Parlamento Europeu, aliás, o Grupo Socialista (S&D) continua a ser a segunda força política, com 20,7% dos eurodeputados, não muito longe do PPE, que não vai além dos 25,4%. A manter-se o crescimento eleitoral da família socialista no rescaldo da crise pandémica, uma vitória eleitoral dos socialistas nas eleições europeias de 2024 é cada vez mais uma possibilidade real.

Pedro Silva Pereira

Twitter Facebook

Não sei fazer outra coisa a não ser pensar.

Eduardo Lourenço, Filósofo

Na semana em que se assinalou um ano da morte de Eduardo Lourenço recordo esta frase inspiradora do grande filósofo português para vos remeter também para o pensamento que tinha sobre a Europa. Eduardo Lourenço afirmava que “construir a Europa por irresistível pressão das forças económicas e uma lógica que é hoje planetária, como sonâmbulos, não é projeto que entusiasme ninguém”. Uma frase a recordar e a recordar numa altura em que a Europa atravessa uma forte crise económica. A Europa é Europa económica, mas é também Europa política e Europa da cidadania.

Margarida Marques

Twitter Facebook

Os dados oficiais de novembro do Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) deixam evidente que quanto maior a cobertura de vacinação, menor a taxa de mortalidade. A vacina é efetiva, sobretudo contra as formas moderadas a graves, diminuindo os internamentos e as mortes. Vacinar-se é um direito que o protege a si e aos outros – vacine-se, se ainda não o fez, ou reforce a sua vacinação contra a COVID-19, se reunir as recomendações médicas.

Sara Cerdas

Twitter Facebook

O semáforo está ligado. Setenta e três dias após ter ganho as eleições, o Partido Social Democrata Alemão (SPD) liderado por Olaf Scholz fechou um acordo de governação de 177 páginas com os Verdes e os Liberais. Uma vez "ligado o semáforo", o documento será ratificado pelos três partidos e Scholtz deverá tomar posse como novo Chanceler alemão até 8 de dezembro. Num tempo em que a fragmentação política é cada vez mais frequente nas democracias europeias, a negociação em tempo record de um acordo detalhado de governação europeísta, liderado pelos progressistas, é um bom augúrio para o papel fundamental que a Alemanha tem no futuro da parceria europeia.

Carlos Zorrinho

Twitter Facebook

O Mauritano - Diário de Guantánamo, Mohamedou Ould Slahi, Vogais e Companhia

Visitei em Guantánamo em 2015, nessa altura, Mohamedou Ould Slahi, autor do livro Diário de Guantánamo era um dos mais de cem homens que ainda lá se encontravam detidos. No próximo ano passarão 20 anos sobre a chegada dos primeiros prisioneiros a essa base militar. Mohamedou e a esmagadora maioria dos mais de 775 homens que por ali passaram acabaram por sair sem qualquer acusação formada, sendo vítimas das mais aviltantes torturas. Ainda lá permanecem 39 - 17 dos quais ainda sem acusação. É preciso não esquecer esta vergonhosa violação dos direitos humanos. Em nome da decência, à comunidade internacional não pode continuar a fechar os olhos.

Isabel Santos

Twitter Facebook

Se no conseguir visualizar correctamente este email clique aqui

Para mais informaes consulte a pgina dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu: http://www.pseuropa.pt/web/
Para remover o seu email desta mailling list por favor clique aqui