10 de setembro de 2021
 

No âmbito da Comissão Especial sobre a ingerência estrangeira em todos os processos democráticos na União Europeia, incluindo a desinformação o Parlamento Europeu ouviu esta semana a Vice-Presidente da Comissão Europeia para o Digital e a Competição, Margrethe Vestager. O quase monopólio de algumas empresas no mercado digital e os riscos que daí advêm foi dos um dos temas em debate, numa semana em que prosseguiu o trabalho sobre a regulamentação dos mercados digitais, no qual sou relator do parecer da Comissão de Indústria, Investigação e Energia.

Carlos Zorrinho

Twitter Facebook

Saúdo a decisão da Comissão Europeia de avançar com dois pedidos ao Tribunal de Justiça da União Europeia contra a Polónia, devido às constantes violações das regras europeias e dos princípios do Estado de Direito. Esta iniciativa, que surge depois de muitas insistências por parte do Parlamento Europeu, é um passo importante no necessário combate em defesa dos valores europeus. Esperemos agora que outros Estados que continuam a ignorar as suas obrigações como membros da União, sejam também punidos e que estas decisões possam ter o efeito pretendido.

Isabel Santos

Twitter Facebook

A obesidade é um sério problema, sendo responsável por muitas mortes evitáveis. Há cada vez mais crianças afetadas, em especial nas famílias com menos recursos. Destaco o webinar organizado pelo S&D (Obesity: the silent pandemic) onde se reflete sobre o papel das multinacionais da indústria alimentar, que encorajam, com uma política de preços imoral, o consumo de alimentos processados com altos teores de sal, açúcar e gorduras. Há que intervir em defesa da saúde.

Manuel Pizarro

Twitter Facebook

20 anos

Há 20 anos, um atentado perpetrado pela Al-Qaeda vitimava Ahmad Shah Massoud. Para os mais atentos à realidade afegã (no meu caso por razões académicas) era um claro prenúncio de tragédia. Dois dias mais tarde, ocorria o 11 de setembro. A morte do herói da luta contra a invasão soviética - que todavia sempre recusara o fundamentalismo religioso, e que ainda em abril de 2001, ante o Parlamento Europeu reunido em Estrasburgo, pedia apoio na luta contra o regime talibã, e alertava para a iminência de terrorismo em solo ocidental – era um duro golpe nas aspirações dos afegãos moderados pela liberdade e democracia.

Hoje, um jovem Massoud inspira-se na figura paterna, mas está longe da sua áurea; enquanto a resistência anti-talibã continua a acusar a complexidade da sua natureza fragmentada e tribal. Já os talibãs, tiveram mais do que tempo para se tornarem numa força política (e não apenas terrorista) que não pode ser ignorada, seja por players como a China e a Índia, seja pelo próprio Ocidente. 20 anos. 20 anos para chegar-se ao deplorável pragmatismo da realpolitik.

Isabel Estrada Carvalhais

Twitter Facebook

"A explosão no porto de Beirute simboliza bem toda a tragédia que o Líbano vive.

Repeti até à exaustão esta frase durante a missão dos Socialistas e Democratas no Líbano, na qual também participou a minha colega Isabel Santos. Um exemplo: há 18 meses era um país de rendimento médio e é hoje assolado por uma taxa de pobreza que atinge os 75% da população. Toda esta evolução trágica para os libaneses começou no verão passado provocada por uma explosão no porto de Beirute que matou 200 pessoas e causou 300 mil desalojados. A tudo isto acresce um impasse político que me vou escusar de classificar. Não podemos esquecer o Líbano!

Pedro Marques

Twitter Facebook

No dia da independência (7 de setembro) esta imagem representa a esperança de muitos brasileiros em dias melhores.

(Imagem publicada por Ivan Lins)

Maria Manuel Leitão Marques

Twitter Facebook

A presidente da Comissão Europeia anunciou, muito recentemente, que foi atingida a meta de ter 70% dos adultos europeus vacinados. Este é um marco importante na estratégia europeia de vacinação, para a qual também contribuiu o trabalho da Presidência Portuguesa. Por seu lado, Portugal atingiu esta semana 85% da população com uma dose de vacina, tornando-se assim o país da UE com mais doses administradas. Um sucesso!

Pedro Silva Pereira

Twitter Facebook

Portugal e o Mundo numa Encruzilhada - Para Onde Vamos no Século XXI?, António Costa Silva, Bertrand

Recomendo a leitura deste livro porque nos fala de evolução da geopolítica, de economia e de clima, de riscos e de crises. Tem uma visão para o futuro. Com ideias, umas mais conservadoras, outras mais arrojadas. Mas não se fica pela identificação dos problemas. Procura encontrar respostas, sugerir políticas e projetos. E, finalmente, para aqueles que têm duvidas, ajuda-nos a entender o Plano de Recuperação e Resiliência financiado pelo Next Generation EU, a resposta europeia à crise.

Margarida Marques

Twitter Facebook

Se no conseguir visualizar correctamente este email clique aqui

Para mais informaes consulte a pgina dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu: http://www.pseuropa.pt/web/
Para remover o seu email desta mailling list por favor clique aqui