15 de janeiro de 2021
 

Os deputados ao Parlamento Europeu participaram numa audição com a Comissária Elisa Ferreira, no âmbito da Comissão de Assuntos Europeus da Assembleia da República. Destaquei alguns pontos que o Programa de Trabalho da Comissão Europeia para 2021 deve esclarecer, nomeadamente os apoios à recuperação e a dupla transição, ecológica e digital, em especial nas Regiões Ultraperiféricas, no âmbito da política de coesão.

Sara Cerdas

Twitter Facebook

Numa operação de grande importância sanitária, económica e social e política, a Comissão Europeia lançou um programa que permitiu a compra conjunta de vacinas e o inicio coordenado da vacinação em todos os países da União Europeia no dia 27 de dezembro de 2020. Depois disso a Comissão tem vindo a reforçar as encomendas numa ação conjunta que já permitiu assegurar 2,3 mil milhões de doses, de seis consórcios de desenvolvimento diferentes.

Carlos Zorrinho

Twitter Facebook

Esta semana o Grupo S&D voltou a defender uma abordagem europeia para a compra e distribuição das vacinas contra o Covid19. Qualquer tentativa para que este processo seja tratado de forma unilateral por cada país será um retrocesso com consequências graves para os cidadãos europeus. É fundamental que o sistema de contratos conjuntos para a aquisição de vacinas e a sua distribuição justa e equitativa continue a ser posto em prática de forma solidária e transparente, tal como tem sido feito até agora de forma muito positiva. Devemos continuar. Juntos somos mais fortes.

Isabel Santos


 

Twitter Facebook

O grito dos maus e o silêncio dos bons

Habituamo-nos a olhar para a democracia americana como um sistema sólido. Sem deixar de estar mergulhado em contradições, consolidamos a ideia de que os mecanismos de controlo e de equilíbrio o colocavam ao abrigo de tentativas totalitárias. Essa convicção torna ainda mais assustadoras as imagens da invasão do Capitólio, que nos chegaram de Washington. Confirmam que Trump é um ser egocêntrico e fascista, mentalmente doente. Apesar desse perfil, chegou a presidente dos Estados Unidos da América, e ai se sustentou, apoiado em muitas cumplicidades e ainda mais silêncios.


No momento em que se aproxima a tomada de posse de Joe Biden, eleito de forma inequívoca, é incrível a forma covarde e calculista como se comportam muitos políticos do Partido Republicano. Gente fraca, incapaz de condenar de forma veemente a tentativa de usurpação levada a cabo pelos vencidos nas urnas. Como disse um grande norte-americano, Martin Luther King, "o que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons."

Manuel Pizarro
 

Twitter Facebook

“Reafirmo que a violência é sempre auto-destrutiva. Sempre.”

Papa Francisco

A invasão do Capitólio por cidadãos americanos (não por estrangeiros, alienígenas ou por quaisquer outras entidades que sempre povoaram o imaginário da xeno-ansiedade americana) liga-se uma outra da recente Encíclica Fratelli Tutti: “se o direito de cada um não está harmoniosamente ordenado para o bem maior, acaba por conceber-se sem limitações e, por conseguinte, tornar-se fonte de conflito e violência”. Entendamos por bem maior, o Bem Comum, a Democracia, a Humanidade. Assim sendo, a excessiva polarização da sociedade americana pode conduzir, se não corrigida, a uma ainda mais profunda degradação desse sentido de bem maior, trajetória essa que urge interromper a bem de todo o povo americano e de todos nós.

Isabel Estrada Carvalhais

Twitter Facebook

Por irónico que possa parecer, a extrema-direita junta-se numa espécie de internacional nacionalista. Juntam-se para exacerbar os muitos ódios que destilam: pelos imigrantes, por quem tem outra religião, outra etnia, outra orientação sexual... A palavra-chave é odiar.

Pedro Marques
 

Twitter Facebook

Um momento que ficará nos livros de história e que mostra, entre outras coisas, a importância de uma regulação adequada das regras do mundo online. Em Bruxelas, trabalhamos para ter uma Lei dos Serviços Digitais que torne claras as obrigações das plataformas, mas que não lhes dê poderes que devem pertencer às democracias – parlamentos, governos e tribunais.

Maria Manuel Leitão Marques

Twitter Facebook

Vale a pena ler o Comunicado do Governo que desmente as notícias falsas sobre a nomeação pelo Conselho Europeu do Procurador Europeu português. Ao contrário do que foi dito, a fundamentação da decisão do Conselho, tal como explicada pela Presidência Alemã, não foi induzida em erro pelos lapsos constantes da nota enviada pelos serviços do Ministério da Justiça, antes valorou o mérito dos candidatos com base na informação fidedigna junta ao processo e teve em conta a hierarquização indicada pelo Conselho Superior do Ministério Público, órgão independente do poder político.

Pedro Silva Pereira

Twitter Facebook

Se no conseguir visualizar correctamente este email clique aqui

Para mais informaes consulte a pgina dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu: http://www.pseuropa.pt/web/
Para remover o seu email desta mailling list por favor clique aqui