19 de junho de 2020
 

Na Comissão de Indústria, Investigação e Energia, desta semana, questionei a Comissária Gabriel sobre a concentração de fundos no centro da Europa, deixando de fora os países denominados periféricos. Isto é particularmente desanimador quando se considera que Portugal, por exemplo, recebeu 16 "Selos de Excelência" não tendo, contudo, recebido nenhum financiamento direto nesta fase para investigar a Covid-19 ao abrigo do aviso europeu lançado.

Maria Manuel Leitão Marques

Twitter Facebook

O turismo europeu, gravemente atingido pela atual pandemia, conta a partir desta semana com mais um instrumento de apoio à sua recuperação: a “Re-open EU”, uma nova plataforma on-line, de acesso gratuito, colocada em funcionamento pela Comissão Europeia para divulgar informações especialmente úteis para o planeamento de viagens na Europa, em condições de segurança. Ali se pode ficar a conhecer as medidas sanitárias em vigor em cada Estado-membro, os serviços de apoio disponibilizados e eventuais regras aplicáveis para a travessia das fronteiras.

Pedro Silva Pereira

Twitter Facebook

"While it is good news that more and more internal border restrictions are being lifted, the way in which it has been done leaves a lot to be desired. Without the return to a fully-functional Schengen Area without internal border control, we are still missing an essential stepping stone on our way to recovery"

Perturbações em alguns Estados-membros e mais recentemente a crise da COVID-19 levaram a suspensões temporárias e, em certos casos, menos temporárias, do Acordo de Schengen em alguns Estados-membros. Suspensões que, por vezes, foram feitas, de forma descoordenada. Na semana em que comemoramos os 35 anos da assinatura deste Acordo, é bom lembrar que Schengen é um instrumento chave na mobilidade das pessoas na União Europeia, mas é também um instrumento fundamental para o bom funcionamento do Mercado Interno.

Margarida Marques

Twitter Facebook

2020

2020 será certamente o ano de escrita de inúmeros livros e dissertações. Alterações climáticas, uma pandemia, racismo tal e qual há 300 anos. Têm sido inacreditáveis estes dias que vivemos. As transformações profundas e repentinas pelo qual o nosso modo de vida atravessou.
Recordo-me dos debates e intervenções que participei entre março e maio, em que muito frequentemente perguntavam: este é o fim da União Europeia? Não, este não é o fim da União Europeia!

As críticas e culpas no calor do momento podem parecer a resposta mais fácil, mas de nada servem sem propostas concretas e exequíveis... porque os cidadãos precisam de respostas, não de perguntas, precisam de soluções, não de problemas. E essa resposta não tardou: 750 mil milhões de euros. Um quadro financeiro plurianual reforçado. Políticas mais verdes, justas e sustentáveis. Que não deixem ninguém para trás.

Sara Cerdas

Twitter Facebook

Racism is not getting worse. It’s getting filmed
Will Smith, Actor

Com esta frase que se tornou viral, o actor rapper e produtor americano lembrou-nos que o racismo não é um fenómeno novo. O que é nova é a tomada de consciência que as imagens despertam, mobilizando-nos para o combater. Na mesma linha de raciocínio, vandalizar estátuas não melhora o passado. Cuidemos antes do mundo que deixaremos como legado, enquanto gerações deste tempo.

Carlos Zorrinho

Twitter Facebook

O ritmo a que a desflorestação da Amazónia continua a ocorrer deve causar alarme a todos quantos se preocupam com a sustentabilidade ambiental. As políticas postas em prática por Bolsonaro resultam não só numa catástrofe ambiental mas colocam também em risco inúmeras comunidades indígenas que habitam aquele território. É imperativo defender não só a Amazónia mas todos os indígenas e ativistas ambientais e de direitos humanos que lutam pela manutenção deste pulmão do planeta.

Isabel Santos

Twitter Facebook

Destaco a campanha #TuPodes. Visita Portugal, lancada esta semana pelo Turismo de Portugal. Neste ano difícil, é especialmente importante apoiar a economia portuguesa. Para os que podem fazer férias há um desafio. No Norte ou no Sul. No Alentejo ou no Algarve. No Litoral ou no Interior. Ou, um pouco mais longe, na Madeira ou nos Açores. Portugal é o melhor destino turístico do mundo. Por isso, podemos juntar o útil ao agradável: conhecer melhor a nossa terra e contribuir para o nosso futuro coletivo. Não percam a oportunidade: visitem Portugal!

Manuel Pizarro
 

Twitter Facebook

Cada um é da cor do seu coração - negros, ameríndios e a questão da escravatura em Vieira
Org. de José Eduardo Franco, Pedro Calafate e Ricardo Ventura, Círculo de Leitores

Uma sociedade humanista não pode aceitar que a sua ética conviva com atitudes e comportamentos racistas que atentam contra a dignidade humana. Mas sendo o racismo uma violência estrutural, não basta combatê-lo de forma conjuntural. Há que ter a certeza de que, uma vez recolhidos os holofotes mediáticos, se seguirá um combate de longo curso que mine as raízes profundas do racismo latente. Esse combate tem na Educação e no conhecimento (não revisionista) da História, dois fortes aliados, não dois inimigos. Na verdade, sem eles, limitamo-nos a ser caixas de ressonância circunstanciais que não raras vezes até acabam por reforçar os discursos legitimadores do racismo.

Isabel Estrada Carvalhais

Twitter Facebook

Se no conseguir visualizar correctamente este email clique aqui

Para mais informaes consulte a pgina dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu: http://www.pseuropa.pt/web/
Para remover o seu email desta mailling list por favor clique aqui