“Precisamos de regimes coerentes de supervisão”

“Precisamos de regimes coerentes de supervisão”

12.02.2020

A regulação e as unidades nacionais de inteligência e supervisores “foram insuficientes” face às práticas financeiras ilegais em diversos países da Europa. Pedro Marques, ao intervir na sessão plenária de Estrasburgo sobre a luta contra a lavagem de dinheiro, reconheceu ser “necessário fazer mais para lidar com práticas ilegais em atividades financeiras”.
 

O potencial da inovação é enorme, as transações digitais crescem a cada dia e tornam-se mais sofisticadas. “Os processos cada vez mais complexos de interconectividade ocultam informações das autoridades”, constatou.

O deputado disse que a União Europeia precisa de ter regimes coerentes de supervisão e definição real de práticas ilegais, mais cooperação entre autoridades diferentes e fechar as lacunas pelas quais as atividades internacionais ilegais estão a acontecer.

“É provável que tenhamos que intensificar o processo legislativo e regulatório, considerando seriamente a possibilidade de aprovação de um novo regulamento, com aplicação automática e coerente em todo o território da União”, admitiu.