Nicarágua: COVID não pode ser pretexto para suprimir direitos e liberdades

Nicarágua: COVID não pode ser pretexto para suprimir direitos e liberdades

09.10.2020

Abolir direitos e liberdades fundamentais era “o pior que nos poderia acontecer”, tanto na Europa como na América Latina. “A crise da COVID-19 fez milhares de vítimas e agravou as desigualdades na América Latina”, descreveu Maria Manuel Leitão Marques, coordenadora do Grupo dos Socialistas e Democratas (S&D) no Eurolat, durante a sessão plenária de Bruxelas.

“É o que está a contecer na Nicarágua”, constatou a deputada. As três propostas de lei relacionadas com os agentes estrangeiros, o cibercrime e notícias falsas, bem como as alterações das penas para crimes de ódio, “aprofundam a deriva autoritária do Presidente Ortega”.

Sem desejar um ruptura diplomática, Maria Manuel Leitão Marques, pede uma resposta “firme e clara, não pactuando com a grave violação dos direitos humanos”, sendo necessário apoiar a sociedade civil nicaraguense e encontrar uma via de diálogo, “assegurando que se mantém viva a esperança” de encaminhar o país no sentido da democracia.