PSPE
PSPE
27 Mar
UE não pode aceitar que a imensa trapalhada do Brexit contamine as eleições europeias

UE não pode aceitar que a imensa trapalhada do Brexit contamine as eleições europeias

Pedro Silva Pereira considerou que o Conselho Europeu “decidiu bem” sobre o adiamento do Brexit ao permitir uma extensão curta do Artigo 50 até 22 de maio, e se o acordo de divórcio com o Reino Unido for aprovado na Câmara dos Comuns. Se tal não acontecer, “o Reino Unido tem no máximo até 12 de abril para clarificar de uma vez por todas o que pretende fazer”, afirmou o deputado.

 

A União Europeia “não pode aceitar que a imensa trapalhada do Brexit contamine as eleições europeias e provoque uma guerra jurídica e uma crise de legitimidade em torno do Parlamento Europeu que vai ser eleito”, alertou.

 

Pedro Silva Pereira, relator para a recomposição do Parlamento Europeu, inscreveu uma cláusula que diz que a nova composição do hemiciclo só entra em vigor se o Brexit se tornar legalmente efetivo.

 

“É isso que devemos usar agora: se o acordo não for aprovado e o cenário do no deal for afastado, como espero, a única extensão do Artigo 50 aceitável, como disse o presidente Tusk, é uma extensão longa, que permita aos cidadãos britânicos participar nas eleições e dê tempo ao Reino Unido para definir uma nova estratégia para o seu futuro”, sustentou.

 
 
 

Inscreva-se e receba notícias dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu